segunda-feira, 20 de junho de 2016

A ÚLTIMA CARTA (RESENHA)

BOA NOITE LEITORES, ESTOU TRAZENDO HOJE A RESENHA DO LIVRO A ÚLTIMA CARTA .



Sinopse: 


Os milagres acontecidos no Campo de Trabalhos Forçados de Plaszow, na Cracóvia, voltam à tona quando o velho soldado alemão Olaf Seemann deixa seu último pedido a seu filho Hugo: entregar uma carta a uma misteriosa mulher chamada Mariele Goldberg, que, de algum modo, tem relação com os milagres os quais uma obscura organização neo-nazista tenta esconder a todo o custo. Em sua cruzada, Hugo mergulha em uma aventura perigosa e em uma jornada de autoconhecimento e redenção em relação a um pai que nunca conhecera verdadeiramente - e a quem terá que reaprender a amar. 





Olaf Seemann antes de morrer deixa por escrito 2 desejos : o 1º de ter suas cinzas jogadas no Rio Reno, em Colônia, cidade onde ele nasceu.
E o 2º desejo seria que uma carta de amor chegasse à uma misteriosa mulher judia.
Hugo, que guardara grandes ressentimentos de seu pai e no entanto não tinha tanto contato com ele, ou melhor nunca o conhecera bem, foi o encarregado de entregar a carta á tal mulher judia.
A vida de Hugo estava tudo sob controle, pois o mesmo era um publicitário bem sucedido, até o momento em que ele encontrara não só essa carta como um bendito caderno de anotações sobre a sua vida como soldado nazista no campo de trabalhos forçados no plaszow.
A cada página lida do caderno, sua vida vai ficando mais perigosa e coisas imaginaveis começam a acontecer. Enfim, é a partir daí que Hugo começa a conhecer de fato quem é o verdadeiro velho Olaf.


A estória é dividida em dois tempos históricos, uma bela viagem à Segunda Guerra Mundial, o que gosto em determinados livros é que são capazes de nos fazer aprender e entender aquilo que não aprendemos na escola ou por falta de interesse ou outro motivo qualquer. Isso se encaixa nesse livro e em outros que li e também falavam um pouco sobre a Segunda Guerra Mundial.
Nas cartas o soldado Olaf relata os acontecimentos ocorridos durante a guerra e a sua luta interior , por seu coração e sua fé serem contrárias a tudo aquilo.
Uma linda e emocionante estória de amor, cheia de mistérios, perdão, fé e sobrevivência, onde o autor soube desenvolver muito bem  a trama.


A última carta é uma estória envolvente, fascinante, onde cartas e um caderno foram capaz de reaproximar pai e filho e mesmo com acontecimentos trágicos e inesperados o perdão falou mais alto.
Uma bela estória que daria um belo filme com direito à oscar.
E aí leitor curioso para saber o que estava escrito nas cartas? Quem era essa misteriosa mulher judia? E por que ela não poderia jamais ser encontrada?
Confesso que eu não largava o livro curiosa para saber todas essas perguntas e todo o mistério envolvido no livro.
Super recomendo esse livro. eu ameiii.

COMPRE O SEU AQUI
OU AQUI

ESTÁ A VENDA TAMBÉM NA  LIVRARIA MARTINS FONTES DA AVENIDA PAULISTA, NOBEL DO PLAZA SHOPPING ITU E  PLAZA SHOPPING  INDAIATUBA.


SOBRE O AUTOR

Paulo Stucchi é jornalista formado pela pela Uneso de Bauru (1995-1998). Especializou-se em Jornalismo Institucional em 2001. Concluiu mestrado em Processos Comunicacionais, ênfase em Comunicação Empresarial em 2008 e está prestes a concluir Pós-Graduação em Psicanálise. Como autor, já lançou O Natal sem Mamãe (2008), A fonte (2010), O triste amor de Augusto Ramonet (2012) resenha aqui no blog  e Menina/Mitacuña (2013), este último, lançado em espanhol no Paraguai com o título de “Niña/Mitacuña”. Também é professor e membro da Academia Ituana de Letras (Acadil).
Atualmente, o livro está disponível pela loja online AQUI
Também nas livrarias Nobel do Plaza Shopping Itu e Plaza Shopping Indaiatuba. Em breve, também na Livraria Martins Fontes Av. Paulista.

6 comentários:

  1. Não conhecia
    Muito obrigada pela visita volta sempre adorei
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia
    Facebook
    Tem post novo todos os dias

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido fala desse livro, mas parece ser legal. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro ótimo sim, um dos meus preferidos.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário.
Obrigada, volte sempre!