sábado, 16 de abril de 2016

RESENHA DO LIVRO O QUE ME FAZ PULAR

OIEEE, BOA NOITE!

O que me faz pular
Naoki Higashida
Editora Intrínseca, 2014
192 páginas

Naoki Higashida sofre de autismo severo. Preso em seu mundo individual, muitas vezes ele exibe comportamentos vistos como estranhos, peculiares, “inadequados”. Seja repetindo palavras e frases aparentemente sem sentido ou evitando contato visual com outras pessoas, Naoki tem uma enorme dificuldade de se comunicar e de socializar.
Porém, graças à determinação da mãe e de uma professora, ele aprendeu a se expressar apontando as letras em uma espécie de teclado de papelão – e o que tem a dizer traz uma nova luz para a compreensão da mente autista.
A história de Naoki demonstra que, longe de serem insensíveis e indiferentes ao mundo, as pessoas com autismo são tão complexas quanto qualquer um de nós e dotadas de senso de humor, empatia e uma intensa imaginação.

O autor é um menino de apenas 13 anos de idade e portador da doença.  Naoki é um exemplo de força, determinação e esperança que lutou para seu sonho de ser escritor se tornar realidade. Ele teve ajuda de sua professora e sua mãe, que fizeram uma espécie de teclado, onde ele aponta as letras que quer dizer, formando palavras, frases, textos .
Os autistas não têm controle sobre seu próprio corpo: eles entendem o que você fala, entendem tudo o que acontece ao seu redor e, ao contrário do que muita gente pensa, eles crescem, evoluem e pensam da mesma forma que uma pessoa “normal”. A diferença é que, enquanto nós temos os pensamentos “organizados”, os deles estão totalmente perdidos e misturados, e eles não têm noção se alguma coisa aconteceu há dois anos ou dois dias E COM ISSO ESQUECEM AS COISAS COM FACILIDADE. Todas as sensações (dos orgãos dos sentidos) são sentidas mais fortes e é o que lhes chamam a atenção. E, quando isso acontece, eles precisam correr atrás dessa coisa que os está “chamando”, ou isso lhes causa uma espécie de dor da qual eles não sabem controlar. Eles sabem que não é certo  fazer isso, mas de alguma forma, não conseguem evitar. 
O livro contem  belas ilustrações em preto e branco, 58 perguntas diretas que Naoki responde sobre sua condição, e alguns contos de ficção que ele mesmo escreveu, O que me faz pular é um livro que todos deveriam ler principalmente pedagogos que atuam na área de crianças especiais e por que não os próprios pais de crianças autistas? Além de conhecer a doença, você passa a compreender melhor essas pessoas e aceitá-los da forma que são.
Para eles é uma luta diária conviver consigo mesmo, tentar fazer o que está próximo compreender porque eles agem assim. Super recomendo esse livro, e é incrível o que se passa dentro da cabecinha deles.
" Mas, quando pulo, é como se meus sentimentos rumassem em direção ao céu. […] Quando estou pulando, posso sentir melhor as partes do meu corpo – as pernas saltando, as mãos batendo -, e isso me faz muito, muito bem."  página: 87 .




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.
Obrigada, volte sempre!